Cirurgias

 

 

Cirurgia ortognática

È uma cirurgia para modificar a posição dos ossos da face tais como a mandíbula ou maxila e colocalos em posição adequada.

É um tratamento feito de forma complementar com a ortodontia, pois os ossos faciais são realocados, sendo necessário preparo antes e depois da cirurgia para corrigir a posição dos dentes numa oclusão correta com função e estética apropiadas.

Assim consegue-se que os dentes e ossos trabalham em conjunto de forma adequada  dando ao rosto uma aparência harmoniosa e agradável. Este tratamento envolve não apenas um aspecto da estética facial, mas também a saúde oral e geral da pessoa para comer bem, corretamente cortar os alimentos, não tendo dificuldade em falar ou dor nas articulações, evitando o desgaste excessivo dos dentes devido a má oclusão.

 

 

Cirurgia para remoção dos terceiros molares/sisos.

O que é um siso incluso?

É quando o terceiro molar, ou “siso” se encontra retido ou impactado sem o espaço necessário na arcada dentária, e sua erupção não ocorre devido à presença de tecido, osso ou outro dente. 

 

Quando é indicada a extração de dentes do siso?

- Em pacientes com infecções graves e/ou repetidas associados aos terceiros molares. 
- Quando há cárie no segundo molar que não pode ser tratada com sucesso sem a extração do terceiro molar. 
- Se há presença ou a possibilidade de formação de cistos. 
- Se sua posição interfere na colocação de uma prótese ou num planejamento de implantes.

 

Cirurgia Plástica Gengival

Um sorriso bonito não é composto somente pelos dentes: o contorno gengival é extremamente importante para a percepção final da sua estética. Desta forma, pacientes que, ao sorrir, expõem a gengiva em excesso – ou, ainda, que têm um desalinhamento dos arcos gengivais – podem se submeter a esse tipo de procedimento, que é realizado sob uma anestesia local simples, praticamente não sangra, fica pronto no mesmo dia e cujo pós-operatório costuma ser muito bem tolerado.

 

 

Enxertos Ósseos

Os enxertos ósseos servem para devolver ao osso atrofiado um volume suficiente que possibilite a fixação do implante.
Em caso de um defeito ósseo de dimensão pequena ou média, todo o procedimento cirúrgico é desenvolvido em ambiente de consultório com anestesia local, geralmente sem qualquer tipo de dor. Enxertos maiores requerem internação em ambiente hospitalar.