Ronco e Apneia do Sono

O que é o Ronco?

O ronco é o ruído provocado pela passagem de ar ocorrendo a vibração dos tecidos moles e causando o som irritante característico. Roncar pode implicar numa anomalia anatômica nos mecanismos funcionais das vias aéreas. E em todos os casos, há um maior ou menor grau de obstrução respiratória, com sérias consequências para a saúde.

 

 

O Ronco pode afetar a minha saúde?

Pessoas (adultos e crianças) que roncam geralmente têm uma qualidade de sono ruim e um sono mais superficial do que aqueles que não roncam. E também podem ter apneia do sono.

 

O que é Apneia do Sono?

Dos que roncam, aproximadamente 30% fazem apneia, que é a interrupção completa do fluxo de ar através do nariz ou da boca por um período superior a 10 segundos. Já na hipoapneia ocorre a redução de 30% a 50% do fluxo de ar.

 

 

 

Sintomas:

  • Ronco (todas ou quase todas as noites);
  • Pausas e/ou redução do fluxo respiratório por alguns segundos. Isso geralmente é dito por quem dorme ao lado;
  • As crianças mostram respiração difícil ou chiado enquanto dormem;
  • Acordar várias vezes para urinar;
  • Acordar com falta de ar ou sufocamento;
  • Dores de cabeça durante à noite;
  • Despertares noturnos;
  • Sono inquieto e agitado, com movimentos bruscos, e sudorese, salivação excessiva;
  • Pesadelos e terrores noturnos;
  • Refluxo gastroesofágico e azia;
  • Sonolência diurna excessiva;
  • Cansaço;
  • Dores de cabeça, geralmente de manhã ou após longos cochilos;
  • Desconforto faríngeo e boca seca;
  • Diminuição da capacidade de atenção, memória prejudicada e diminuição da eficiência intelectual;
  • Irritabilidade e alterações de humor;
  • Diminuição da libido e disfunção erétil.

 

 

 

Quais as consequências que a Apneia do Sono pode trazer para a saúde?

  • Complicações cardiovasculares: hipertensão, arritmias, insuficiência cardíaca e doença coronária;
  • Complicações neurológicas: aumento da incidência de acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico;
  • Complicações metabólicas: distúrbios do metabolismo da glicose, dificuldade de emagrecer;
  • Aumento do risco de acidentes de trânsito, domésticos e de trabalho;
  • A morte súbita;
  • Em crianças, pode haver: distúrbios comportamentais e de aprendizagem, retardo do crescimento, insuficiência cardíaca, déficits de atenção.

 

 

Diagnóstico:

O diagnóstico é feito através de um exame chamado polissonografia, onde o paciente dorme numa clínica e é monitorado por toda a noite.

Este exame irá fornecer informações fundamentais para o diagnóstico correto do problema.

 

 

Tratamento:

 

Aparelho intraoral de avanço mandibular:

É um dispositivo intraoral, para uso somente durante o sono, cujo mecanismo de ação se baseia em um avanço mandibular confortável e controlado, aumentando o tónus muscular e o diâmetro das vias respiratórias, o que facilita a entrada de ar e erradica ou reduz significativamente o ronco, as apneias de grau leve e moderado e aceito também nos casos severos onde o paciente tentou o tratamento com o CPAP mas não se adaptou.

 

 

 

 

Vantagens do aparelho em relação aos outros tratamentos:

  • Confeccionado em material com longa durabilidade;

  • Fácil adaptabilidade;

  • Tratamento não agressivo e conservador;

  • Ajustes gradativos do avanço mandibular.

 

 

Demais tipos de tratamento:

 

Ventilação mecânica noturna ou CPAP (pressão positiva de ar contínua)

É um dispositivo que consiste em um compressor elétrico que fornece ar pressurizado para as vias respiratórias, e que através de uma máscara leva ar ao nariz ou à boca. Deste modo, o colapso das vias aéreas é evitada e assegura a ventilação durante o sono. É um tratamento muito eficaz, e a primeira indicação em casos de apneia grave.

 

 

 

Fonoterapia

Os exercícios fonoaudiológicos objetivam fortalecer a musculatura da garganta envolvendo a língua e o palato mole. Ainda que esses exercícios não sejam uma solução definitiva para estes problemas, podem aliviar bastante o incômodo e melhorar a saúde de quem sofre com o ronco e a apneia. Em alguns casos, os exercícios poderão ser feitos como um complemento a outros tratamentos, como o uso de aparelhos intraorais ou CPAP.

 

 

Cirurgias

 A indicação para a cirurgia e a escolha da técnica cirúrgica deve ser realizada por um especialista, o estudo abrangente prévio do doente para determinar as causas do ronco e o ponto ou pontos onde a obstrução das vias aéreas acontece.

  • Adenoidectomia (remoção das adenoides);
  • Amigdalectomia (remoção das amígdalas);
  • Uvulopalatofaringoplastia ou ressecção da úvula, ou "campainha" e parte do palato mole;
  • Redução da língua com radiofreqüência ou laser;
  • Avanço bimaxilar (mandíbula e maxila deslocadas para frente);
  • Traqueotomia (Reservada para casos extremos de apneia onde os outros tratamentos falharam).